Gestão
Veja como identificar possíveis problemas com a saúde e o bem-estar de seu colaborador
Veja como identificar possíveis problemas com a saúde e o bem-estar de seu colaborador

Como diz o ditado, “toda ação tem uma consequência”. E no ambiente corporativo, isso não é diferente. Afinal, existem vários indícios de que algo não vai bem com a saúde e o bem-estar do colaborador. Um ritmo de trabalho mais baixo ou mesmo atrasos frequentes são alguns exemplos disso.

Vale ressaltar, é claro, que traduzir, exatamente, o que cada funcionário sente e pensa é impossível. Contudo, identificar as causas do comportamento que eles apresentam, não.

Principais indícios de que há problemas com a saúde e o bem-estar do colaborador

Para uma gestão que acompanha os times de perto, é rápido perceber quando um colaborador não está bem. Alguns indícios são mais evidentes do que outros e apontam os caminhos pelos quais a empresa deve seguir para resolver os problemas.

“A qualidade de vida do colaborador está diretamente relacionada com um ambiente de trabalho adequado. Quando ele não existe, o profissional passa a dar sinais. E cabe aos gestores estarem atentos e dispostos a agir o mais prontamente possível para evitar as consequências”, ressalta Izabel Pizzorno, coordenadora dos cursos de gestão da faculdade Anhanguera de São José dos Campos.

Dentre os indícios mais comuns, estão:

Atrasos e faltas

Atrasos constantes e faltar periódicas sem justificativas plausíveis são os primeiros indícios de que existe o colaborador está com algum problema.

Atrasos na entrega de tarefas

Como consequência de atrasos e de faltas ao trabalho, a improdutividade e a demora nas entregas começam a surgir.

Medo na tomada de decisões

De acordo com a coordenadora dos cursos de gestão da faculdade Anhanguera de São José dos Campos, quando o colaborador não está se sentindo bem no ambiente de trabalho ou está com algum problema de saúde, “ele perde a  capacidade de pensar, passando a apenas obedecer e seguir ordens.”

Pouca interação

A passividade em reuniões e/ou em projetos que exigem a participação de todos são fortes indícios de que o colaborador não está muito bem. Neste caso, a adoção de uma postura mais distante também costuma ser percebida.

Reclamações da equipe

Quando os colaboradores passam a fazer reclamações sobre determinada pessoa, a liderança deve redobrar a atenção. As queixas podem envolver desde falhas nas atividades desempenhas pelo profissional em questão até comportamentos que prejudicam o trabalho em equipe.

O que compromete a saúde e o bem-estar do colaborador?

Ainda que os funcionários tenham responsabilidade sobre suas atitudes, as companhias também têm um papel crucial nas causas dos problemas. Confira, a seguir, alguns motivos mais comuns:

  • Metas acima da capacidade do colaborador;
  • Falta de ergonomia no ambiente de trabalho;
  • Falta de benefícios corporativos;
  • Clima organizacional ruim;
  • Gestão não humanizada;
  • Estresse organizacional;
  • Hábitos não saudáveis;
  • Falta de planejamento;
  • Assédio moral.

O que fazer para não comprometer a saúde e o bem-estar do colaborador?

“As empresas têm seus objetivos organizacionais e metas a serem cumpridas e, justamente por este motivo, devem trabalhar arduamente para que seus colaborares sintam-se motivados e reconhecidos. Assim, eles serão capazes de aumentar a produtividade da equipe, criando uma identidade com a companhia”, afirma Izabel.

Além disso, é importante investir em ações importantes, como as listadas a seguir:

Investir em estrutura física

Arquitetura e decoração adequadas, assim como equipamentos ergonômicos e iluminação adequada para o ambiente de trabalho, influenciam diretamente na saúde e no bem-estar do colaborador.

Fazer uma gestão humanizada

Líderes que fazem uma gestão humanizada dos colaboradores oferecem espaço para que eles exponham seus conflitos e dificuldades dentro da empresa.

Esse feedback profissional é importante para que a liderança tome decisões assertivas, sobretudo em relação qualidade de vida ao colaborador, assim como para reconhecer o empenho individual e da equipe como.

“O colaborador que acredita na empresa onde trabalha, com certeza, produzirá mais, pois se sente parte integrante do processo da organização. Os gestores devem ter uma comunicação adequada e respeitosa com seus funcionários, colocando-se como líderes que ensinam pelo exemplo”, recomenda Izabel.

Oferecer benefícios corporativos

O investimento em um plano de bem-estar corporativo deve fazer parte das políticas organizacionais promovidas pelas empresas.

“Não é somente o salário que satisfaz o funcionário, também é o seu reconhecimento e crescimento profissional. Muitas empresas perdem capital intelectual de alta performance justamente porque não encantam seus colaboradores com isso”, pontua.

Criar um clima organizacional agradável

Um clima organizacional agradável faz com que os colaboradores se sintam mais felizes. E com isso, além do aumento da produtividade, “a corporação ganha a lealdade do colaborador e deixa de perder um profissional capacitado para o concorrente.”

Izabel enfatiza ainda que, quando a empresa não toma as devidas ações para que a saúde e o bem-estar do colaborador melhorem, sinais ainda mais graves tendem a ocorrer, como a LER (Lesão por Esforço Repetitivo), o estresse ocupacional, a Síndrome de Burnout, a Síndrome do Pânico e a depressão.

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação de

Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as novidades Vidalink e artigos sobre bem-estar.