Gestão de saúde
73% dos colaboradores utilizam serviços digitais de saúde oferecidos por suas empresas, diz pesquisa
73% dos colaboradores utilizam serviços digitais de saúde oferecidos por suas empresas, diz pesquisa

Com o avanço da pandemia, os serviços digitais de saúde tiveram que acompanhar a demanda expressiva de pessoas que passaram a buscar suporte físico e emocional – mesmo que a distância –  para enfrentar as dificuldades impostas pelo novo coronavírus.

Novos casos de depressão e ansiedade, apresentados inclusive por quem nunca desenvolveu problemas relacionados à saúde mental, têm sido registrados desde o começo da pandemia, fazendo com que empresas dos mais variados setores invistam cada vez mais em tecnologia para oferecer a seus colaboradores, dentre outros benefícios, a possibilidade de contar com o auxílio de aplicativos que visam a melhoria da qualidade de vida e de receber o atendimento on-line de psicólogos e psiquiatras.

Todo esse panorama ficou ainda mais evidente com uma recente pesquisa desenvolvida pela consultoria de saúde e RH Mercer Marsh Benefícios com mais de 16 mil trabalhadores, de 18 a 64 anos, em 13 países (Brasil, China, Colômbia, Índia, Indonésia, México, Estados Unidos, Canadá, França, Itália, Reino Unido, Singapura e Países Baixos). Aqui no Brasil, foram ouvidos mil profissionais.

De acordo com o levantamento, 73% dos entrevistados utilizam serviços de saúde a distância oferecidos pelas empresas onde trabalham. E mais: 52% desejam estar empregados em organizações que disponibilizam aplicativos e outras plataformas digitais para ajudá-los a encontrar com mais facilidade médicos, agendar consultas e gerenciar dados sobre sua saúde.

“A tecnologia passou a ter uma importância muito grande para as empresas em relação ao cuidado com a saúde de seus funcionários nos últimos anos. E a pandemia não só manteve como também aumentou, em um curto período de tempo, a necessidade disso. A possibilidade de agendar e fazer uma consulta por telemedicina antes de seguir a um pronto socorro, por exemplo, é uma das facilidades que têm impactado o bem-estar dos funcionários”, destaca Magali Martins, professora de Recursos Humanos da Universidade UNG.

Além disso, a tecnologia também favorece o trabalho dos RHs, levando mais eficiência aos processos que envolvem a gestão dos benefícios, sem contar que, com a autonomia cada vez maior de cada funcionário, os acessos das equipes de Recursos Humanos para resolver questões desses méritos só vêm diminuindo ano após ano.

A importância de se investir em serviços digitais de saúde

Além da prevenção ao Burnout, depressão e ansiedade, típicos desse momento de pandemia, a adesão de serviços digitais de saúde traz mudanças significativas para todos os envolvidos a curto, médio e longo prazo.

A professora Magali Martins aborda os principais benefícios. São eles:

  • Agendamento de consultas com maior agilidade;
  • Solicitações de reembolsos e consultas prévias;
  • Consultar-se em segurança de casa, antes de ir pessoalmente a um pronto-socorro;
  • Maior otimização de tempo para empresas e colaboradores
  • Mais eficiência para o RH;
  • Entrega de maior autonomia para colaboradores recorrerem aos serviços digitais de saúde;
  • Menos desgaste de equipes com questões de saúde internas.

Aderindo a serviços digitais de saúde, as companhias vão entregar uma maior qualidade de vida aos colaboradores, especialmente nesse período de pandemia. Além de trazerem vantagens competitivas à empresa – algo essencial ainda mais quando consideramos as mudanças drásticas que a COVID-19 causou (e segue causando) ao mercado mundial.

A Vida – wellbot (robô virtual) de bem-estar da Vidalink – pode ajudar!

A Vida é o wellbot (robô virtual) de bem-estar da Vidalink criado para promover a mudança de hábitos e o fortalecimento emocional dos profissionais dentro e fora do ambiente de trabalho, por meio de trilhas de conteúdo criadas com exclusividade por especialistas em desenvolvimento comportamental (médicos, psicólogos, nutricionistas, educadores físicos e coaches).

Justamente por isso, ela consegue falar sobre saúde mental com o usuário driblando o estigma tradicional que envolve quadros de ansiedade e depressão e identificando antecipadamente comportamentos que indicam problemas relacionados à saúde emocional. Ela também dá suporte às pessoas com quadros diagnosticados, com informações sobre possíveis efeitos colaterais, terapias complementares e riscos de abandono do tratamento, além de lembretes de recompra da medicação, entre outras ações. Confira os detalhes no vídeo https://bit.ly/3bOhhqi.

 

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação de

Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as novidades Vidalink e artigos sobre bem-estar.

SimNão