Gestão
Bem-estar dos funcionários está no topo da lista de prioridades das empresas na pandemia
Bem-estar dos funcionários está no topo da lista de prioridades das empresas na pandemia

Em meio à crise trazida pela pandemia do novo coronavírus, não há como negar: o cuidado com a saúde e o bem-estar dos colaboradores tem ganhado mais espaço nas empresas. Pelo menos é o que aponta o relatório produzido pela consultoria Grant Thornton Brasil e pela Culture for Performance, especializada em projetos organizacionais. Realizada no Brasil com mais de 2 mil companhias de todos os portes, entre os dias 19 de junho e 29 de julho, a pesquisa apontou que o bem-estar dos funcionários tem sido uma das prioridades das organizações neste momento.

“Uma empresa se faz com pessoas, do contrário, ela não passa de um ente legal, um contrato social. O que houve recentemente foi uma preocupação coletiva que sensibilizou a todos por ser uma situação nunca vivida entre as pessoas economicamente ativas. Nenhuma geração em atividade viveu isso para saber como lidar com essa situação. Portanto, as organizações têm se desdobrado para amenizar o impacto disso no seu quadro funcional ”, analisa Paulo Sergio Jordani, professor do curso Tecnólogo em Recursos Humanos da Unochapecó, administrador e presidente do Conselho Regional de Administração de Santa Catarina.

Outro dado que chamou atenção no estudo, segundo os próprios organizadores, é que, antes da pandemia, o interesse das empresas era em performance, mas agora a atenção parece estar mais voltada para o cuidado com a saúde física e mental dos colaboradores e no equilíbrio entre trabalho e lazer. “As pessoas estão mais fragilizadas e apreensivas neste momento, por isso tendem a diminuir o seu desempenho, inclusive porque o ambiente organizacional teve de ser remodelado para garantir o distanciamento e também porque algumas pessoas tiveram de se afastar para preservar a saúde. É um novo aprendizado, por isso a atenção às pessoas está mais acentuada.”

Benefícios do bem-estar dos funcionários para as organizações

Conforme falamos diversas vezes por aqui, promover ações que aumentem o bem-estar dos funcionários oferece uma série de benefícios para as organizações. “Empresas inteligentes crescem com as pessoas no centro das atenções, são elas que trazem clientes e fazem um simples contrato social se tornar uma referência na sociedade”, ressalta o professor.

Confira, portanto, os principais benefícios conquistados a partir de ações que vão de encontro ao bem-estar dos colaboradores:

  • Melhora da retenção de talentos;
  • Redução do turnover;
  • Prevenção da Síndrome de Burnout;
  • Diminuição do presenteísmo;
  • Melhora do engajamento das equipes;
  • Incentivo à inovação;
  • Aumento da receita;
  • Melhora do relacionamento com clientes e fornecedores;
  • A empresa se torna referência de mercado;
  • Prevenção de acidentes de trabalho;
  • Diminuição de afastamentos por conta de problemas de saúde;
  • Redução de despesas.

Ações para aumentar o bem-estar dos funcionários na pandemia

Diante do momento que estamos vivendo, empresas de diversos setores devem formular ações de bem-estar que partam, preferencialmente, de pesquisas internas realizadas pelas equipes de RH e também da percepção de líderes e gestores, para que sejam realmente adequadas e atendam às necessidades dos trabalhadores. A seguir, separamos algumas sugestões:

Manter protocolos de segurança adequados à pandemia

Fundamentais para empresas de qualquer tipo, as medidas de prevenção à COVID-19 devem ser colocadas em prática e levadas em frente pelos gestores. Itens indispensáveis como o álcool em gel 70% e máscaras devem ficar sempre à disposição dos funcionários. Além disso, reformular modelos de trabalho que exijam a presença física e reorganizar o layout dos escritórios também são ações bem dirigidas e necessárias neste momento.

Implantar o modelo de trabalho híbrido

Dividir o trabalho físico com o on-line é uma das tendências que tem tudo para se estabelecer no mercado daqui para a frente. “Mesclar atividades presenciais com o home office pode ser uma boa alternativa para garantir que a força de trabalho seja preservada”, ressalta Jordani.

Contar com o apoio da tecnologia

Recursos tecnológicos não têm faltado para encurtar as distâncias causadas pelo distanciamento social e também ajudar a preservar a saúde mental das pessoas. “A telemedicina pode ser uma alternativa na psiquiatria, bem como o atendimento com um psicólogo on-line. Vale lembrar, ainda, que pessoas já diagnosticadas com algum transtorno mental e que fazem acompanhamento não devem abandonar o tratamento. Isso é fundamental para evitar que o caso se agrave”, afirma Andréia Correia e Silva, psicóloga e hipnoterapeuta clínica (CRP 06/100459).

A Vida – wellbot (robô virtual) de bem-estar da Vidalink – pode ajudar

A Vida é o wellbot (robô virtual) de bem-estar da Vidalink criado para promover a mudança de hábitos e o fortalecimento emocional dos profissionais dentro e fora do ambiente de trabalho, por meio de trilhas de conteúdo criadas com exclusividade por especialistas em desenvolvimento comportamental (médicos, psicólogos, nutricionistas, educadores físicos e coaches). Justamente por isso, ela consegue falar sobre saúde mental com o usuário driblando o estigma tradicional que envolve quadros de ansiedade e depressão e identificando antecipadamente comportamentos que indicam problemas relacionados à saúde emocional. Ela também dá suporte às pessoas com quadros diagnosticados, com informações sobre possíveis efeitos colaterais, terapias complementares e riscos de abandono do tratamento, além de lembretes de recompra da medicação, entre outras ações. Confira os detalhes no vídeo https://bit.ly/3bOhhqi.

Ter uma liderança humanizada

O cuidado com o bem-estar dos funcionários não deve ser apenas uma “coisa de momento”, mas, sim, algo a ser trabalhado de forma intensa pelos gestores das empresas, que devem ter cada vez mais um olhar sensível para a força de trabalho e habilidades interpessoais muito bem desenvolvidas. Afinal, “ninguém gosta de trabalhar em um ambiente hostil, as pessoas só se sujeitam a esse tipo de ambiente por necessidade financeira. Portanto, na primeira oportunidade que tiverem, elas vão buscar um ambiente mais qualificado para satisfazer suas necessidades”, conclui.

 

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação de

Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as novidades Vidalink e artigos sobre bem-estar.