Gestão
Em tempos de pandemia, como estimular picos de performance sem prejudicar o bem-estar das equipes?
Em tempos de pandemia, como estimular picos de performance sem prejudicar o bem-estar das equipes?

Entre os muitos desafios presentes na rotina de uma empresa está, é claro, a busca por picos de performance. E quando falamos em aumento de desempenho, estamos falando, automaticamente, em exigir mais dos colaboradores.

Mas como fazer isso sem gerar sobrecarga? Existem formas de conseguir mais resultados sem colocar em risco a saúde física, mental e emocional das pessoas? E em tempos de pandemia do novo coronavírus, qual a maneira mais adequada de agir? É o que você vai descobrir agora, confira!

O que são picos de performance?

Considerados momentos nos quais os profissionais atingem o máximo do seu desempenho, os chamados picos de performance podem ser conquistados de maneira individual ou em grupo.

Como exemplo, podemos citar o atingimento de uma meta em um prazo menor do que o normal, que só se torna possível com o maior engajamento e esforço do time.

Também podemos imaginar um aumento no volume de vendas em determinadas épocas do ano, exigindo a participação e o comprometimento total da equipe.

Em resumo, ambos os exemplos levam à ideia da necessidade de exigir mais dos profissionais, seja com mais horas de trabalho, mais funções ou responsabilidades maiores.

E como conseguir picos de performance em tempos de pandemia?

Por conta da pandemia do novo coronavírus, o modo de operar de muitas empresas precisou mudar. Com isso, a maneira de buscar picos de performance também tem de ser ajustada.

Para Renata Reston, psicóloga e coach de Realização Pessoal e Profissional, recrutadora, palestrante, escritora e treinadora de Líderes e Equipes de Alta Performance, “neste momento de isolamento social, incertezas, medos e de ansiedade aumentada, as empresas (gestores) devem criar – caso ainda não tenham feito – uma equipe de gestão de crise, elaborando um plano de contingência com atitudes mais assertivas e estratégicas para que as pessoas passem da melhor forma por este período de desafios.”

Em complemento a isso, a especialista também sugere:

  • Mapear os perfis comportamentais dos colaboradores, com o intuito de entender como cada um reage diante de uma situação de risco, conhecendo seus pontos fracos e fortes;
  • Encontrar maneiras para funcionário e empresa trabalharem em conjunto, sem sobrecarregar o colaborador neste momento que exige cautela e inteligência emocional;
  • Oferecer apoio e assistência para a saúde mental dos funcionários;
  • Fazer acompanhamento de metas semanais;
  • Dar feedbacks individuais;
  • Ficar atento às necessidades dos colaboradores;
  • Pensar na segurança e no bem-estar dos profissionais;
  • Manter um canal aberto para diálogo, o que é um diferencial importantíssimo neste momento.

O papel do colaborador 

Ainda que seja uma novidade para muitas empresas e profissionais, o home office é comum em diversos países e, ao que tudo indica, no pós-pandemia, também será uma realidade por aqui.

A fim de não prejudicar o desempenho profissional e conseguir manter picos de performance, Renata sugere que o colaborador:

  • Estabeleça uma rotina com horários definidos, similares ao expediente da empresa;
  • Escolha um local confortável e bem iluminado para trabalhar;
  • Evite distrações, por exemplo, desativando as notificações do celular;
  • Mantenha o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, respeitando os horários de cada atividade;
  • Trabalhe o senso de pertencimento (mesmo distante, o colaborador ainda faz parte de uma equipe);
  • Melhore sua maneira de se comunicar.

Como ter picos de performance sem causar prejuízos?

Fora da situação imposta pelo coronavírus, muitas empresas já estavam tomando consciência da necessidade de prezar pelo seu maior e mais importante ativo, o ser humano.

Dessa forma, chegamos à seguinte questão: como exigir mais dos colaboradores para estimular e alcançar picos de performance sem comprometer a qualidade de vida dentro e fora do ambiente de trabalho? Confira algumas dicas abaixo:

Defina um propósito

O primeiro passo para atingir picos de performance é dividir com a equipe o propósito daquela ação e as razões pelas quais a ajuda de cada profissional é essencial. Quando os funcionários se conscientizam da importância do seu trabalho dentro da organização e de quanto isso contribui para o crescimento de todos, fica mais fácil engajá-los.

No entanto, é fundamental não só deixar claro os objetivos, mas também criar metas alcançáveis. Do contrário, isso pode levar ao sentimento de frustração, além de desgaste e desmotivação.

Essas consequências tendem a fazer com que outros momentos que necessitem de picos de performance caiam no descrédito e não sejam atendidos como deveriam.

Torne líderes exemplos

O tipo de liderança impacta diretamente no desempenho das equipes. Gestores com participação ativa, que também mostram resultados e engajamento, se tornam estímulos e exemplos em momentos que exigem picos de performance.

Por isso, para bons resultados, é essencial acompanhar de perto a equipe, além de conhecer bem cada colaborador, seus pontos fortes e limitações. Dessa forma, o líder consegue estimular as habilidades individuais e estimular a autonomia dos colaboradores, desenvolvendo um sentimento de credibilidade e confiança, ao mesmo tempo em que extrai o melhor de cada um.

Mantenha a boa comunicação

A boa comunicação é essencial não apenas para as lideranças diretas, mas para a empresa como um todo. Por isso, é importante dar abertura e manter bons diálogos com os profissionais de todas as hierarquias.

Além de alinhar melhor as necessidades e os objetivos dos picos de performance, a comunicação ajuda a identificar os limites individuais dos colaboradores. “Os feedbacks, por exemplo, às vezes, serão para todo o time, mas, em outras situações, podem ser dados individualmente”, lembra a especialista.

Estimule a competição saudável

De acordo com Renata Reston, “é impossível esperar por alta performance de um trabalhador que não esteja capacitado e motivado.

Dessa forma, estimular uma competição saudável entre os funcionários é uma maneira de conseguir bons resultados. No entanto, é fundamental que a empresa e as lideranças diretas fiquem atentas às posturas e ações que possam ser prejudiciais para o indivíduo ou o grupo.

Neste caso, incentivar um maior engajamento deve ser algo benéfico para todos, desde que sejam prezados o bem-estar físico, mental e emocional do colaborador.

“Manter os trabalhadores motivados é um desafio e tanto, mas quando se tem a equipe em harmonia e bem desenvolvida, com os papéis definidos, isso fica mais fácil. Para isso, é importante também que o indivíduo reconheça seu potencial e saiba da sua importância dentro da instituição.”

Reconheça e recompense o esforço

Depois de todos esses gatilhos para a conquista de picos de performance, obviamente, os colaboradores vão querer ser recompensados.

Recompensas financeiras, como comissões, são altamente válidas. Contudo, os profissionais buscam (e merecem) mais do que isso.

O reconhecimento pelo bom desempenho nas atividades pode vir de diversas maneiras, como, por exemplo:

  • Incentivando novos aprendizados com pagamento de cursos;
  • Dando oportunidade de crescimento através de planos de carreira;
  • Promovendo cuidados com a saúde, como a oferta de planos de bem-estar, por exemplo;
  • Promovendo eventos para integração das equipes e, com isso, criar momentos de relaxamento e aprimoramento das relações interpessoais.

Há uma responsabilidade mútua, mas também uma implicação de cada um com as tarefas que exercem. Saber lidar com a interface entre o individual e o coletivo é um passo importante para gerir melhor um time, o que contribui para melhorar os picos de performance”, finaliza Renata.

A Vida – wellbot (robô virtual) de bem-estar da Vidalink – também pode ajudar

A Vida é o wellbot (robô virtual) de bem-estar da Vidalink criado para promover a mudança de hábitos e o fortalecimento emocional dos profissionais dentro e fora do ambiente de trabalho por meio de trilhas de conteúdo criadas com exclusividade por especialistas em desenvolvimento comportamental (médicos, psicólogos, nutricionistas, educadores físicos e coaches).

Justamente por isso, ela consegue atuar também em prol do desenvolvimento profissional dos colaboradores com treinamentos que visam estimular a sua autoconfiança para que eles atinjam picos de performance no trabalho, administrem bem o tempo e conquistem seus objetivos.

E tem mais: devido à pandemia do novo coronavírus, a Vida está disponível gratuitamente para todas as empresas do Brasil e seus respectivos colaboradores até o dia 30 de setembro. Saiba mais no link: https://bit.ly/2XySmlG

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação de

Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as novidades Vidalink e artigos sobre bem-estar.