Gestão
People Analytics: qual a sua importância para os RHs das empresas?
People Analytics: qual a sua importância para os RHs das empresas?

Uma das maiores tendências de RH, o People Analytics promove diversos benefícios quando o assunto é a gestão de pessoas – desde a atração e retenção de talentos até a promoção do bem-estar corporativo. Apesar disso, apenas 4% das organizações em todo o mundo fazem uso desse tipo de recurso, conforme apontou um recente estudo da Bain & Company.

Mas você pode estar se perguntando: “o que é People Analytics e quais os seus benefícios?” De um jeito bem simples, podemos dizer que o termo se refere à captura e à análise de dados sobre os colaboradores e às pessoas que buscam trabalhar em uma empresa. Essa abordagem ainda vem sendo incorporada pelo mercado e compreendida pela maioria dos profissionais de Recursos Humanos.

“Não pense que o People Analytics é um dashboard, com indicadores da área de RH, esse é um pensamento antigo. A ideia é utilizarmos os dados para entender quais são os comportamentos que temos em nosso trabalho, ou seja, o que torna as pessoas mais criativas e produtivas, por exemplo. Quando ‘pegamos’ esses dados e os associamos a estratégias e processos para alcançar objetivos, aí sim estamos fazendo o People Analytics”, explica Regina Cantele, coordenadora de cursos de MBA da Faculdade de Tecnologia e Administração Paulista (FIAP) e uma das idealizadoras do curso de curta duração: “People Analytics – a transformação do RH”.

Qual a importância do People Analytics para os RHs?

É a partir da análise de dados referentes ao perfis e aos comportamentos dos colaboradores que as organizações podem colocar em prática ações mais assertivas, visando o aumento da produtividade, a redução de custos, a atração e retenção de talentos e, claro, o bem-estar corporativo. Isso porque as equipes passam a trabalhar com fatos que são traduzidos em estatísticas, deixando para trás aqueles famosos “achismos”.

A seguir, falaremos mais detalhadamente sobre os principais benefícios gerados pelo emprego correto do People Analytics nas empresas. Confira!

Redução de custos

Com a captura e a análise de dados, as organizações podem ter reduções significativas de custos relacionados a contratações e demissões provenientes de processos seletivos pouco assertivos, que não contam com informações detalhadas sobre os candidatos.

Aumento da atração de talentos

Estratégias formadas a partir do People Analytics fazem com que os RHs construam melhores formas de atrair talentos para a companhia. Algumas empresas, por exemplo, usam a tecnologia do chatbot para fazer uma espécie de triagem dos profissionais. “Com isso, os gestores podem perceber qual é o tipo de perfil do candidato que mais busca trabalhar na organização, além de ter acesso e mensurar dados relacionados aos seus maiores interesses, como salário, benefícios, localização da empresa, entre outros”, explica Regina.

Dessa forma, toda a estratégia para atrair talentos passa a ser montada de acordo com os dados capturados e analisados – uma estratégia que vale também para a retenção do público interno.

Diminuição do turnover

O uso e a análise de dados tende a contribuir também para a diminuição do turnover, uma vez que as lideranças passam a conhecer melhor cada um de seus colaboradores e suas respectivas necessidades, habilidades e aspirações, traçando, assim, estratégias capazes de atendê-las.

Ampliação do bem-estar corporativo

Com a correta utilização do People Analytics, as empresas têm totais condições de propor ações que atendam às necessidades do seu público interno, colocando em prática um plano de bem-estar corporativo que promovam a satisfação dos colaboradores.

Como aplicar o People Analytics na organização?

Algumas etapas são necessárias para que as empresas tenham êxito na implantação do People Analytics. Confira todas elas a seguir:

Treinar todo o time de Recursos Humanos

Diante de tudo que dissemos, não é difícil concluir que o People Analytics exige dos profissionais a habilidade de leitura de dados – isto é, de saber interpretar o que todas as informações coletadas “querem dizer”. Portanto, treinamentos voltados a isso são mais do que indicados para os times de RH.

“Outra dica é colocar estatísticos na equipe para que eles olhem dados que não são observados por outros profissionais. Trabalhando junto ao RH, esses profissionais podem impulsionar a área a tomar ações mais eficazes”, sugere Regina.

Usar softwares voltados à coleta e organização e avaliação de dados

O uso de softwares que permitam a coleta, organização e avaliação dos dados é fundamental para que sejam possíveis os cruzamentos das informações e as análises que servirão de insumo para os profissionais de Recursos Humanos traçarem suas estratégias.

Olhar para os processos internos da empresa

Enxergar processos internos e identificar onde estão os maiores erros também é um dos primeiros passos para a implantação do People Analytics nas empresas. “É muito importante saber onde está o ‘Calcanhar de Aquiles’ e ver se aquilo que está dando ‘dor de cabeça’ é, ao mesmo tempo, algo estratégico dentro da organização.”

Afinal, é justamente isso que vai permitir que os dados sejam utilizados de forma inteligente e possam atuar no cerne do problema e promover melhorias.

Por fim, como o People Analytics é uma nova metodologia que usa tecnologias tão jovens quanto, podemos dizer que “ainda temos um caminho longo pela frente, pois estamos falando de uma cultura nova que está promovendo a transformação digital dentro das empresas. Porém, vale ressaltar que todos os processos agora passarão a ser conduzidos por dados e análises”, conclui a especialista.

 

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação de

Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as novidades Vidalink e artigos sobre bem-estar.