Gestão
Humanizar relações de trabalho é segredo para bem-estar organizacional
Humanizar relações de trabalho é segredo para bem-estar organizacional

Se você ainda acredita que o sucesso de um negócio é proveniente apenas de bons produtos, serviços e atendimento ao cliente, está na hora de mudar sua forma de pensar. Claro que esses fatores são importantes, mas o verdadeiro segredo das empresas que chegaram ao topo é o bem-estar organizacional.

Cada vez mais, fica claro que investir no maior capital de um negócio – o ser humano – gera resultados benéficos para todos: funcionários, empresas e clientes. Mas como humanizar as relações de trabalho no dia a dia para alcançar o tão sonhado bem-estar organizacional? É o que vamos explicar agora, confira!

Por que o bem-estar organizacional é tão importante?

Para começarmos a falar sobre bem-estar organizacional, é preciso entender o que significa humanizar as relações de trabalho.

Quando falamos em negócios, a primeira ideia que vem à nossa mente é a geração de lucro. Afinal, colaboradores prestam serviços para serem remunerados no final do mês, e empresas, por sua vez, oferecem produtos e serviços ao público para ter bons rendimentos.

Mas com o tempo, notou-se que essa dinâmica “engessada” não trazia vantagens para ninguém, abrindo espaço, então, para uma nova visão, que deixou claro que os funcionários não eram apenas peças que geravam lucros para as organizações, mas, sim, ferramentas importantíssimas para o seu crescimento e, por conta disso, mereciam ser tratados como tal.

Dessa forma, foi possível definir que humanizar as relações de trabalho consistia em entender o outro, respeitar suas necessidades e o acolher quando necessário.

Aqui, é fundamental lembrar que cada pessoa tem necessidades físicas e emocionais bem particulares e que, por mais que precise desempenhar seu papel dentro da empresa, essas questões precisam ser atendidas para que ela se sinta bem.

Outro ponto importante que merece ser destacado quando falamos em bem-estar organizacional, é lembrar que profissionais com problemas de saúde, sejam eles relacionados ao trabalho ou não, têm sua produtividade reduzida, além de se tornarem alvos fáceis para acidentes de trabalho e outras doenças relacionadas.

Para Marisa Estela Karam, psicóloga, mestre em administração e desenvolvimento empresarial e professora dos cursos de lato sensu – MBA e Pós-Graduação – do Centro Universitário FMU. “Quanto maior for o cuidado com a saúde e o bem-estar dos colaboradores, maior serão os benefícios para a organização, como a redução do absenteísmo e dos afastamentos por doenças e, consequentemente, o maior controle de recursos e sinistros.”

E vale a pena ressaltar que não é só o corpo que precisa ser alvo do bem-estar organizacional. A saúde mental e as relações interpessoais dentro do ambiente de trabalho também têm grande peso.

Por esses motivos, tornou-se tão importante olhar o colaborador de uma maneira mais humanizada e não apenas como uma fonte de lucro, como era antigamente.

Quais mudanças colaboram para a humanização das relações e o bem-estar organizacional

Considerando essas questões, fica ainda mais claro que o bem-estar organizacional reflete não apenas no desempenho individual de cada profissional, mas na empresa como um todo.

Confira, a seguir, algumas medidas que podem contribuir nesse sentido:

Invista no crescimento de seus funcionários

O bem-estar organizacional começa com um time bem formado e estruturado. Para isso, é importante que as empresas entendam que as ações voltadas para o crescimento dos funcionários não devem ser consideradas um gasto – pelo contrário: trata-se de um investimento essencial para que a organização cresça também.

Além de reter talentos, oferecer cursos e treinamentos, por exemplo, são excelentes formas de capacitar ainda mais os colaboradores, dando a eles mais segurança para realizarem suas tarefas, além de ser também uma boa maneira de reconhecer seus esforços, empenho e dedicação.

Ouça o que eles têm a dizer

Estabelecer uma comunicação clara, sem ruídos, e abrir espaço para bons diálogos são pontos que pedem atenção quando se busca melhorar o bem-estar organizacional.

Além de aprimorar as relações interpessoais, especialmente entre líderes e subordinados, ouvir o que seus colaboradores têm a dizer é uma excelente maneira de identificar questões e processos que podem ser melhorados. Afinal, não há pessoa mais indicada do que aquela que executa a tarefa para apontar como sua dinâmica pode ser melhorada.

Isso ajuda a aumentar a produtividade e, por consequência, a lucratividade da empresa, além de impactar diretamente no nível de satisfação do funcionário e na execução de suas atividades.

Para isso, vale a pena trabalhar os canais de comunicação da empresa, dando opções físicas ou virtuais para que a equipe se expresse, seja de maneira sigilosa ou aberta. As pesquisas de clima também são importantes ferramentas para levantar informações e ainda ajudam a traçar estratégias e identificar pontualmente as necessidades.

Ofereça um plano de bem-estar corporativo 

Uma boa remuneração é, certamente, um forte atrativo para um profissional entrar e/ou se manter em uma empresa, mas quando falamos em bem-estar organizacional é preciso ir além disso.

Pensar na condição em que se encontra o colaborador dentro e fora do ambiente de trabalho é fundamental para que ele exerça bem suas atividades. Nesse sentido, investir em um plano de bem-estar corporativo, que envolva o incentivo a mudanças na alimentação e a orientação sobre o cuidado com a saúde mental, por exemplo, pode ajudar muito. Contudo, vale a pena lembrar que: antes de definir em quais ações investir, é importante identificar aquelas que realmente vão ao encontro do perfil dos colaboradores. Afinal, ao levantar as características e necessidades das equipes, fica mais fácil oferecer serviços que gerem, de fato, bons resultados, sem eventuais frustrações.

 

 

 

 

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação de

Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as novidades Vidalink e artigos sobre bem-estar.