Gestão
Cultura de bem-estar na empresa: confira o que fazer para construir
Cultura de bem-estar na empresa: confira o que fazer para construir

Muito tem se falado sobre como o ambiente de trabalho influencia na produtividade e até na qualidade de vida dos colaboradores. Justamente por isso, é cada vez mais necessário que as empresas busquem formas de desenvolver uma cultura de bem-estar.

Afinal, um local de trabalho saudável impacta diretamente na maneira como as atividades são executadas, nas relações interpessoais e na saúde da equipe. Mas como tornar isso uma realidade? Quais caminhos seguir para beneficiar funcionários e a organização como um todo? É o que você vai descobrir neste post. Confira!

Por que é tão importante ter uma cultura de bem-estar?

“Ambientes doentes” adoecem as pessoas. De acordo com o Ministério da Previdência Social, os auxílios-doença devido a transtornos mentais e emocionais aumentaram quase 20 vezes nos últimos dez anos e se tornaram a segunda causa de afastamentos do local de trabalho.

Obviamente, esses transtornos podem ser ocasionados por problemas pessoais, no entanto, uma pesquisa realizada com 16.000 pessoas pela Regus, mostrou que, em 60% dos casos, a causa dos transtornos mentais dos entrevistados eram motivados por atividades profissionais.

Outra pesquisa, realizada pela Capita (empresa de Londres que oferece serviços de RH e bem-estar), apontou que basta um colaborador com problemas para que toda a equipe seja comprometida, levando a desentendimentos e descontentamento, além de outros pontos negativos.

Para as organizações que não dispõem de uma cultura de bem-estar para evitar essas questões, as sequelas podem ser “sentidas” com a perda da produtividade e, consequentemente, da lucratividade.

Funcionários que não se sentem felizes em seu ambiente de trabalho tendem a realizar as tarefas sem empenho, procurando maneiras de executá-las com rapidez para deixar o local quanto antes. Isso leva não somente a resultados abaixo do esperado, como também a acidentes pela falta de atenção e cuidado ao realizar as atividades.

Além de afetar a realização das tarefas e os relacionamentos interpessoais, a falta de programas com foco na qualidade de vida do trabalhador gera gastos com afastamentos médicos, aumento do turnover e custos com novas contratações e treinamentos.

Benefícios

Para Ana Cristina Limongi-França, psicóloga, professora do Progep FIA (Programa de Gestão de Pessoas) e fundadora da Associação Brasileira de Qualidade de Vida, “os benefícios englobam desde retenção de talentos, melhoria da imagem organizacional até a redução do absenteísmo e do presenteísmo.

Como criar uma cultura de bem-estar na sua empresa?

Por todos esses motivos, fica ainda mais claro o quanto ter uma cultura de bem-estar é fundamental, tanto para empresas quanto para colaboradores. “A boa notícia sobre questões ligadas à atenção e aos cuidados com os funcionários é que tivemos uma considerada evolução nos últimos dez anos. O assunto se tornou estratégico, com orçamento próprio e com construção de competências”, analisa.

Mas como colocar isso em prática, ainda mais se a organização nunca trabalhou com esse foco?

“As ações de bem-estar para retenção de talentos e para construção e prática de um novo estilo de vida têm de acompanhar o movimento dos funcionários, do mercado e da própria cultura da empresa, sobretudo com a entrada da tecnologia, da presença e do aumento dos transtornos mentais, da sensação de insegurança e do certo distanciamento das pessoas com relação ao seu compromisso com o trabalho em longo prazo”, orienta Ana Cristina.

Por isso, é importante entender o que significa oferecer bem-estar no ambiente de trabalho.

Esse pacote de produtos e serviços que ficam acessíveis aos funcionários e às suas famílias vai desde a parte clássica de higiene industrial, proteção e prevenção aos acidentes de trabalho e doenças ocupacionais, até questões ligadas à alimentação, atividade física, melhoria ergonômica, educação, entre outros. Lembrando que um novo estilo de vida só se efetiva se estiver alinhado com as características, crenças e necessidades das pessoas que vão utilizar”, ressalta.

Identifique as necessidades

Pensando dessa forma, vale lembrar que cada empresa tem um público interno e necessidades diferentes para atender. Dessa forma, nem sempre um plano que foi aplicado para criar a cultura de bem-estar de uma organização atenderá bem à sua empresa, por exemplo.

Para isso, é preciso identificar quais pontos precisam de melhoria dentro da corporação. Ouvir os colaboradores por meio de pesquisas é uma boa maneira de conseguir essas informações.

Segundo Ana Cristina, fazer um bom diagnóstico e, com base nele, identificar ações já existentes, criar uma lista do que pode ser realizado e definir indicadores a partir de um método, são outras atitudes fundamentais para sucesso da proposta.

Conscientize as lideranças

No desenvolvimento de uma cultura de bem-estar, cabe ao RH agregar suas competências básicas ao projeto. Ana Cristina salienta que esse setor também tem papel fundamental para que o conceito atinja os três níveis: estratégico, gerencial e operacional.

Somado a isso, é essencial conscientizar as lideranças para deixarem de lado pensamentos e hábitos antigos. Além disso, é preciso que elas incentivem as equipes a participarem dos programas que forem criados para que, dessa forma, todos realmente se beneficiem.

Ofereça condições de equilíbrio entre o profissional e o pessoal

Existem várias maneiras de criar uma cultura de bem-estar para seus funcionários, uma delas consiste em oferecer condições de equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal.

Sabemos quanto os problemas externos afetam a produtividade dos colaboradores, contribuindo até para o presenteísmo. Por isso, quando as empresas disponibilizam meios para um equilíbrio, novamente, ambos os lados são beneficiados.

Horários flexíveis ou a possibilidade de trabalhar home office são duas alternativas cada vez mais utilizadas. Essas opções permitem que o colaborador realize suas tarefas, mas, ao mesmo tempo, consiga espaço para resolver questões pessoais sem comprometer o andamento das atividades.

Permita a participação e o crescimento dos colaboradores

Ouvir sugestões de quem realiza as tarefas pode ser a melhor forma de ajustar pontos falhos. Isso parece óbvio, mas ainda há muitas organizações que deixam a opinião dos funcionários de lado, exigindo que eles executem somente um modelo pré-estabelecido.

Mas se você está em busca de construir uma nova cultura de bem-estar na sua empresa, atentar-se ao ponto de vista deles é fundamental. Além disso, é bastante válido incentivar essa prática que, além de trazer novas possibilidades, é uma excelente maneira de identificar importantes talentos.

Incentive os relacionamentos

Passamos muito mais tempo no trabalho do que em casa. Dessa forma, manter um bom relacionamento interpessoal com os colegas ajuda não apenas na execução das tarefas, mas também deixa o ambiente mais leve, saudável e o clima organizacional muito melhor.

Incentivar a boa convivência e criar possibilidades para que isso aconteça, tal como espaços de descompressão, é outra excelente forma de construir uma nova cultura de bem-estar.

 

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação de

Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as novidades Vidalink e artigos sobre bem-estar.