Gestão de saúde
Saiba como evitar os altos custos de saúde causados por quem não se trata corretamente
Saiba como evitar os altos custos de saúde causados por quem não se trata corretamente

Tomar um medicamento prescrito é uma das formas mais importantes que pacientes têm para manter seu bem-estar. Contudo, por diversas razões, muitos não estão dispostos ou não conseguem prosseguir até o término do tratamento.

O estudo ‘Coalizão Saúde Brasil – Uma agenda para transformar o sistema de saúde’, feito pelo Instituto Coalização Saúde em 2017, mostrou que a população brasileira gasta cerca de 50% do seu orçamento de saúde com medicamentos, mais do que países de referência como Austrália (38%), Reino Unido (34%) e Canadá (21%).

A pesquisa também apontou os principais motivos do brasileiro para não aderir ao tratamento:

  1. Esquecimento
  2. Custo
  3. Sintomas que cessam
  4. Descrédito na eficácia do tratamento
  5. Não considerá-lo necessário
  6. Efeitos colaterais e interferência em outras atividades

O impacto é silencioso e muito caro

Um paciente que não se medica corretamente está muito mais propenso ao agravamento da sua doença. Isso aumenta consideravelmente as idas ao pronto-socorro (onde a consulta é muito mais cara) e impacta na produtividade da empresa, pois aumenta o absenteísmo e presenteísmo, além de contribuir para a queda de qualidade de vida do colaborador. O uso descontrolado do Plano de Saúde se intensifica e a consequência vêm na forma do aumento do custo do Plano, muito acima da inflação.

O custo de não seguir o tratamento

Quando não há a adesão ao tratamento medicamentoso, o custo é maior para a saúde e as finanças pessoais dos pacientes, assim como para todo o sistema de saúde. De acordo com a OMS, apenas 50% das pessoas com doença crônica seguem o tratamento da maneira correta. No caso do diabetes tipo 2, por exemplo, isso aumenta os custos com a doença em 125%. Para garantir adesão ao tratamento é necessário combinar acesso, educação e mecanismos de acompanhamento.

A solução

Agir na causa, ir além, não parar no diagnóstico do colaborador e conhecer o que ele realmente precisa, investir no tratamento correto para evitar os altos custos de pacientes (cuja doença se agrava e acabam indo ao pronto-socorro ou até na UTI). Esse é o cuidado que fará com que o valor do seu Plano de Saúde não dispare na próxima renovação.

Estratégias e ferramentas para derrubar as barreiras contra a não adesão aos tratamentos prescritos

Como uma empresa que há 18 anos interage diariamente com pacientes, incentivando a correta adesão a tratamentos medicamentosos, a Vidalink aprendeu lições valiosas sobre como superar essas barreiras. Em nosso modelo integrado, oferecemos as seguintes soluções que incentivam a adesão dos pacientes e fornecem as informações necessárias para entender as necessidades de sua equipe:

Plano de Medicamentos Vidalink

O Plano de Saúde diagnostica cobrindo consultas e exames, porém não trata. Com o Plano de Medicamentos Vidalink, a empresa oferece uma cobertura que permite aos usuários realmente se cuidarem. O Plano paga parcial ou integralmente os medicamentos prescritos promovendo a adesão ao tratamento medicamentoso e quebrando o ciclo de aumentos altíssimos do Plano de Saúde.

Convida Digital

O Plano de Medicamentos Vidalink inclui este serviço inovador que incentiva o paciente a aderir ao tratamento medicamentoso. Adicionalmente, identifica casos de risco e alerta antes que se agravem, além de orientar os pacientes a tomarem as melhores decisões, buscando ajuda médica quando necessário.

Inteligência em saúde

Com a Vidalink, o gestor de Capital Humano poderá acessar nossa plataforma de inteligência que permite identificar, pelo perfil de consumo de medicamentos, quais são as principais patologias e necessidades da sua equipe. Ele terá as informações necessárias para saber onde o investimento em saúde terá melhores resultados.

Mude a forma de cuidar e tenha resultados melhores

Muito se fala do aumento dos custos de saúde, mas as empresas pouco têm feito de diferente para mudar esse panorama. Não basta ficar nas mesmas soluções, como a redução de coberturas e downgrade do plano de saúde, ou as ações pontuais como as atividades na SIPAT. Para quebrar essa tendência de alta é preciso cuidar melhor de seus colaboradores sempre que eles precisarem, além de entender suas reais necessidades de forma rápida e comprometida com o bem-estar do paciente.

Invista em saúde de forma inteligente: é melhor que o usuário utilize o Plano de Medicamentos do que piore sua condição e acabe no pronto-socorro, onde os custos são muito mais altos e quem paga essa conta é a empresa.

Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notificação de

Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as novidades Vidalink e artigos sobre bem-estar.